Quem aí já terminou uma prova e passou dias andando igual um pato? Aí vem aquela reflexão: será mesmo que estamos preparados pra enfrentar grandes distâncias ou intensidades? Quais são as consequências desses desgastes a médio e longo prazo? Dores musculares são comuns quando incluímos novos estímulos na corrida, mas até que ponto essa dor é considerada normal? Correr mais rápido e correr mais longe sem dores, não depende só de um motor potente, é necessário também de uma carcaça com boa estrutura. O treinamento de força é tão importante quanto os treinamentos específicos de corrida. Não basta apenas aumentar a capacidade de vo2 e se dedicar aos treinos progressivos, treinos intervalados, ritmo, etc. Pra você ter uma melhor eficiência na corrida seus músculos precisam de fortalecimento, de técnica e educação motora.

Fuerza na carcaça e bons treinos!

André Bucater

Professor de Educação Física e Treinador WEGO SPORTS

Instagram: @andrebucater